IV Mistério – O Nascimento

“Um Menino nasceu para nós”.

Jesus é o centro. Perante Ele se curvam e ajoelham os verdadeiros adoradores. “Envolto em panos e recostado numa manjedoura” (Lc 2, 7). Houve cânticos no céu (os anjos) e visitas na terra (os pastores). O lugar era pobre, mas aquelas almas eram ricas. Deus fez tão bem as coisas que aproximou-se de nós, uma vez que nós não conseguíamos aproximar-nos de Deus. Neste Menino Jesus descobrimos um Deus que nos ama com infinito amor. Com esses olhos inocentes de criança, Ele sorri-nos e fala-nos de paz através do seu sorriso infantil.

Em Junho de 2008, Monsenhor Fouad Twal foi entronizado como novo Patriarca latino de Jerusalém. Numa entrevista fizeram-lhe esta pergunta: Monsenhor, o que é que vai aqui semear? Ele respondeu: Vou semear a alegria de viver. A alegria cristã de viver. A força e a alegria de viver, a alegria de pregar, a alegria de anunciar o Evangelho, é uma alegria que nos vem do inetrior, a partir d’Aquele que nos disse; “Não temais, eu estou convosco... deixo-vos a minha paz”.

Contemplando este “recém-nascido” com os mesmos olhos de José e Maria podemos compreender muito melhor o poder e o amor deste Deus que se esconde aos soberbos de coração e se manifesta aos humildes.

Ao contemplar este “recém-nascido”, como Raquel, também quero chorar os filhos mortos, os inumeráveis inocentes que os países «civilizados» e «orgulhosos» não deixam nascer. É preciso que a força da vida vença a “civilização da morte”. Vamos semear a alegria cristã de viver!

Divino Menino Jesus,
Beleza sem par e Bondade sem fim,
eu vos dou graças
por Vos terdes feito menino por meu amor!
Eu vos adoro e Vos amo em todos os mistérios da vossa divina Infância!
Eu vos peço que infundais em mim
as vossas graças e virtudes
que me tornam semelhante a Vós
e me tornam digno do céu.

 

| 2011-08-01 |

 

| Lista das notícias | |